top of page

Projeto Túnel Mirthes Bernardes - Prêmio de Design Instituto Tomie Ohtake Leroy Merlin 2021

Recepcionar em casa alguém que esperamos, tratar bem e reconhecer aquele que chega até nós, aceitar, ter consideração por algo. Estes são significados e definições quando pesquisamos um pouco sobre a palavra “Acolher”.


Talvez alguns de nós passemos a vida inteira em busca de um acolhimento verdadeiro de uma criação, de um trabalho, de algo que tenhamos feito e pode ser que esse objetivo nosso nunca seja alcançado.


Isso acontece com a história da Mirthes Bernardes, você já ouviu esse nome? Sabe da importância de seu trabalho para o design nacional? Talvez alguns nunca tenham ouvido falar dela e outros provavelmente nunca irão ouvir. Eu conheci a história dela através de uma pesquisa para saber mais sobre o Piso Paulista e foi um privilégio descobrir sobre essa mulher que contribuiu nos presenteando com a criação desse símbolo.


Mirthes venceu, em 1965, um concurso para ilustrar o formato das calçadas da cidade de São Paulo. O Piso Paulista, com traços simples e de genuína beleza, deixou de ser um desenho guardado na gaveta para se tornar um dos principais símbolos, um ícone que representa o estado.


Na época do concurso, Mirthes trabalhava na Secretaria de Obras da Cidade. Seu chefe viu o esboço que ela tinha feito e estava guardado em uma gaveta, e, junto de alguns colegas de trabalho, convenceram-na a inscrever o seu projeto no concurso. Ficou entre os quatro finalistas e, depois de uma votação popular, foi declarada a vencedora.


O desenho que lembra o mapa do estado ganhou o mundo, virou não somente calçada, mas também estampou marcas famosas de chinelos, camisetas, uniformes de futebol, participou de exposições e foi até tema de desfile de escola de samba. Reconhecimentos e acolhimentos mais que merecidos para a artista. Porém o nome da criadora de tal obra nunca foi reconhecido pelo cenário artístico, ela merecia muito mais, ganhar o nome de uma rua ou praça, um busto ou uma estátua talvez. Mirthes faleceu em 18 de Dezembro de 2020, sem ter sido remunerada pela criação de sua obra, sem ter uma homenagem justa e grandiosa, não conseguiu sequer que os direitos autorais de sua criação lhe foram concedidos.


Ela nos deixou sem um acolhimento expressivo em vida, mas não é por isso que sua história precisa ser deixada de lado e agora totalmente esquecida. Será também uma homenagem para que integrantes de sua família possam se sentir acolhidos.


O Projeto Túnel Mirthes Bernardes busca acolhe-la em nossa memória, tornar reconhecida e difundida a sua história, contar um pouco da trajetória de uma das mulheres mais importantes para o design paulistano.





O projeto consiste em uma exposição homenageando a artista em uma estrutura simples, barata e fácil de ser instalada. Será uma estrutura que dará efeito de túnel, todo feita em MDF preto, com as paredes e o teto formando o desenho do piso paulista. Será uma exposição que pode ser montada em colégios, shoppings e outros ambientes cobertos da cidade, se tornando assim uma intervenção com o espaço. Todo este sendo realizado após a Pandemia de COVID-19, quando passarmos dessa fase de “novo normal”.


Dentro do túnel estarão impressas imagens em lona dos primeiros croquis do desenho, ilustrações, a história escrita, fotos de um concurso fotográfico que será lançado por meio da rede social Instagram, e um mural de recados, para que o público posso interagir e deixar mensagens de acolhimento em lembrança de Mirthes.


Para torna-lo inclusivo, o espaço contará também com medidas que garantam a entrada e circulação de cadeirantes, terá piso, placa tátil e TV que transmitirá em áudio informações sobre toda a exposição, a história e a trajetória de Mirthes para pessoas com deficiência visual


O objetivo do projeto é acolher Mirthes em homenagem, em memória e pensamento, é levar conhecimento, maravilhar o público com essa sensação de conhecimento.

Comentarios


bottom of page